Dicas

Mais rápido do que o Wi-Fi, wi-gig pode ser a melhor opção



Confira a tecnologia que esta sendo testada desde o ano de 2013 e que poderá ser muito mais funcional do que a forma de conexão sem fio utilizada nos dias de hoje.

Com o intuito de melhor a conexão de rede sem fio, a WiGig Alliance está desenvolvendo uma nova forma de conexão sem fio.

o WiGig promete oferecer uma alta taxa de transferência de dados, tanto para melhora da velocidade wireless como também para as taxas de transferência via USB e bluetooth.

mais-rapido-do-que-o-wi-fi-wi-gig-pode-ser-a-melhor-opcao

É a empresa WiGig Alliance que é responsável pela homologação dos primeiros equipamentos quebrado compatíveis com essa nova fonte de rede.

A WiGig Alliance reúne diversas empresas do setor tecnológico, todas com o mesmo foco: amadurecer a ideia do padrão WiGig e o popularizar no mercado.

Os melhores padrões atuais de rede sem fio conseguem operar em taxas de transferência de até 5 Gb/s. Com este novo padrão do WiGig é possível chegar a até 8 Gb/s em aparelhos já compatíveis com a nova tecnologia.

 

Pontos positivos do WiGig

Mesmo ainda estando em fase de teste é melhorias, o WiGig já conseguiu proporcionar diversos pontos positivos para diversas finalidades.

O melhor ponto positivo que este equipamento passou foi o seu principal foco: fornecer uma alta taxa de transferência de dados através da rede sem fio.

A partir daí, foi surgindo diversos outros pontos positivos, como a transmissão de conteúdos de vídeo e áudio em alta qualidade, maior velocidade na hora de rotear, maior versatilidade para o wireless docking, jogos e aplicativos que utilizam a ideia de realidade virtual, carregamento de arquivos na nuvem, realização de redes, entre outros.

 

 

Pontos fracos

Uma das leis da física é aplicada quando se trata sem ponto fraco do WiGig. A ideia de que diz que quanto maior a frequência, maior a velocidade, porém menor a distância é uma das principais vilãs para este conceito de tecnologia de rede sem fio.

Para tentar solucionar o problema, os pesquisadores criaram um modo de alternar as redes nos aparelhos habilitados para o WiGig.

Rate this post
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais vistos

To Top